quinta-feira, 28 de julho de 2016

+ PATRIMÓNIO: Percurso por São João da Ponte

A Braga + vai encerrar o ano de actividades com uma visita guiada ao pitoresco local de São João da Ponte.
Esta iniciativa está agendada para sábado, dia 30 de julho, e tem início marcado para as 10h00, na Capela de São João da Ponte.O percurso, que se inicia no templo que este ano completa 400 anos de existência, integra passagens pelo Parque da Ponte, Cruzeiro de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, antiga Quinta da Mitra, Estádio 1.º de Maio,e terminará na zona histórica dos Gallos. Em cada um dos lugares vai ser efectuada uma contextualização histórica por intermédio de Rui Ferreira. 
O objetivo desta visita guiada é dar a conhecer os factos e personagens que tornaram o recinto de São João da Ponte num dos mais relevantes espaços de lazer e convívio da cidade de Braga.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Memórias de Braga: Prof. Mota Leite


O Prof. Mota Leite, um grande nome das tradições da nossa cidade e da nossa região, será tema de conversa de mais um Memórias de Braga quinta feira às 21h30 no Museu do Traje, com a participação especial do Conjunto de Cavaquinhos Dr. Gonçalo Sampaio.

São convidados a professora Teresa Sá Fernandes e o professor Jorge Mota leite.

No “ciclo de memórias” cada conversa é informal tem o objetivo de uma troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

MEMÓRIAS DE BRAGA: 50 anos da conquista da Taça de Portugal

A história das cidades é feita de momentos marcantes, muitos derivados de acontecimentos fatídicos e outros de inusitada alegria. São estes momentos, uns e outros, aqueles que acabam por servir de motivo de unidade para as pessoas que habitam e partilham o mesmo espaço geográfico. Por isso mesmo, as conquistas da sua principal instituição desportiva acabam por ser momentos inolvidáveis de vivência coletiva, apenas superados pelas festividades cíclicas que congregam anualmente a população. Esta força comunitária dos fenómenos desportivos, que alguns preferem menosprezar, acaba por ser fundamental para fomentar os vetores identitários das comunidades.
Em Braga, foi fundada, provavelmente em 1914, uma instituição desportiva que a história acabou por afirmar como a mais importante da cidade. Transporta o emblema municipal e ergue bem alto o nome que nos serve de união: Braga! Esta instituição, designada de Sporting Clube de Braga, acabou por brindar os bracarenses com os mais significativos momentos de alegria e entusiasmo coletivo da nossa história recente. O maior dele, talvez, aconteceu no dia 22 de Maio de 1966, há precisamente 50 anos. Falamos da Taça de Portugal, segunda competição mais importante do futebol português, que o Sporting de Braga conquistou nesse dia, na primeira final almejada.
 
Tendo em vista recordar esta grata Memória de Braga, a Associação Braga+ promove na próxima terça-feira dia 17, pelas 21h30, no auditório da Associação de Futebol de Braga, mais uma sessão de Memórias de Braga. 
 
São convidados para abordar o dia 22 de Maio de 1966, Evandro Lopes, bracarólogo, e dois dos jogadores do Sporting de Braga que figuraram no onze que entrou em campo no Jamor, José Maria e Armando.
 
No “ciclo de memórias” cada conversa é informal tem o objetivo de uma troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.

sábado, 9 de abril de 2016

MEMÓRIAS DE BRAGA: Francisco de Araújo Malheiro

A Associação Braga+ promove na próxima quarta-feira dia 13, pelas 21h30, mais uma sessão de Memórias de Braga, desta vez para recordar o Francisco de Araújo Malheiro, Presidente da Câmara Municipal de Braga entre 1938 e 1945 e novamente entre 1961 e 1964. 
 
São convidados para abordar a sua vida e legado Sílvia Dulce, filha do homenageado, e Miguel Bandeira, investigador bracarense e Vereador da Câmara Municipal de Braga.
Esta iniciativa, que se realiza no auditório do Museu do Traje Dr. Gonçalo Sampaio sito na rua do Raio, dá sequência à pretensão da Braga + em recolher testemunhos e memórias bracarenses.

No “ciclo de memórias” cada conversa é informal tem o objetivo de uma troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.

terça-feira, 15 de março de 2016

+ PATRIMÓNIO: Percurso pela Semana Santa de Braga

As associações Braga + e JovemCoop organizam, no próximo sábado, dia 19 de março,  mais um percurso pelo património bracarense, desta feita para memorar a Semana Santa de Braga.
Esta iniciativa, tem início marcado para as 14h30, na igreja do Pópulo, junto à entrada principal.

O objetivo desta visita guiada é dar a conhecer a história dos principais cerimoniais públicos que têm lugar durante a Semana Santa de Braga, nomeadamente as grandes procissões. Com início marcado para a igreja do Pópulo, um dos lugares marcantes das tradições quaresmais bracarenses, o percurso conta com algumas etapas nos templos vinculados às Irmandades de Santa Cruz e da Misericórdia, as principais protagonistas das procissões.
A visita guiada conta ainda com passagens pelos Congregados, onde se desenvolveu a devoção às Dores de Nossa Senhora, e pela igreja de S. Victor, local onde nasceu a procissão da Senhora das Angústias, que viria a tornar-se na popular procissão da Burrinha. 

Ao longo do percurso serão ainda recordados alguns factos e personagens que se tornaram relevantes ao longo do tempo naquele que é um dos mais celebrados momentos da comunidade bracarense.

Demais informações estão disponíveis nos sites da JovemCoop e da Braga +, ou nas respetivas páginas do facebook.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

+ PATRIMÓNIO: Visita a Sobreposta

A Braga + organiza no próximo sábado, dia 20 de fevereiro,  mais um percurso pelo património bracarense, desta feita com uma inédita visita à freguesia de Sobreposta.
Esta iniciativa, tem ponto de encontro marcado para as 09h30, no parque de estacionamento da Rodovia (antiga Bracalândia), de forma a serem organizadas boleias. A deslocação será feita nas viaturas próprias.

O objetivo desta visita guiada é dar a conhecer o património de uma das freguesias mais desconhecidas de Braga mas, ao mesmo tempo, das mais encantadoras. A igreja paroquial com o seu arco de romaria, a capela românica de S. Tomé, ou o extraordinário conjunto de moinhos da Lageosa serão pontos de passagem obrigatórios.
A visita vai ser orientada por Fernando Mendes, associado da Braga + e bracarógrafo natural desta freguesia, que recentemente publicou uma monografia sobre esta temática.
A iniciativa conta com a participação e colaboração da Associação Social e Cultural de Sobreposta, com a qual a Braga + vai firmar uma parceria de colaboração no final desta iniciativa.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

+ CULTURA: Memórias de Braga sobre o Monsenhor Airosa

A Associação Braga+ promove na próxima quinta-feira dia 14, pelas 21h30, mais uma sessão de Memórias de Braga, desta vez para recordar o Monsenhor João Pedro Airosa, fundador do Colégio da Regeneração que se instalou no antigo Convento da Conceição da rua dos Pelames. São convidados para abordar a vida e legado do homenageado o diretor do Instituto Monsenhor Airosa, Luís Gonzaga Dinis, e Ernesto Português, investigador responsável por uma publicação que aborda a história da instituição.

Recorde-se que o Instituto Monsenhor Airosa é uma obra social iniciada por João Pedro Ferreira Airosa, sacerdote da Arquidiocese bracarense. Esta instituição é herdeira do Colégio de Regeneração, que havia sido iniciado em 1869 com a missão de «retrair do caminho de perdição e reabilitar religiosa e civilmente as pessoas do sexo feminino extraviadas e sem meios de subsistência».

Esta iniciativa, que se realiza no auditório do Museu do Traje Dr. Gonçalo Sampaio sito na rua do Raio, dá sequência à pretensão da Braga + em recolher testemunhos e memórias bracarenses.

No “ciclo de memórias” cada conversa é informal tem o objetivo de uma troca de conhecimentos entre o público e os convidados, partilhando-se as memórias que se querem vivas sobre as vivências da nossa cidade.